domingo, 23 de novembro de 2008

Sessão de abertura do Clube de Idéias

por Jáder Marcos Paes Correto da Rocha

O nosso propósito é criar um jardim epicurista e discutirmos livremente qualquer assunto.

Somos cinqüentenários e não somos unânimes sobre os assuntos tratados.

O que nos une são nossas diferenças.

O Clube foi organizado por mim e pelos professores Machado, Veloso, Teixeira, Vladimir e Figueiredo.

Machado acredita que o Clube de Idéias está condenado a desaparecer antes de nascer, como a revista Klaxon no início do século XX. A revista Klaxon se destinava a um público que não existia, porque poucos liam. O Clube de idéias se destina àqueles que pensam, logo desaparecerá, porque poucos pensam.

Figueiredo não se importa com a repercussão do Clube, porque teme a massificação das discussões.

Veloso enxerga o sucesso! Crê no homem harmonioso, livre, desprovido de censuras.

Teixeira entende ser um bom caminho para melhorar o desempenho da sociedade.

Vladimir afirma ter encontrado um novo caminho para a práxis política.

Quanto a mim, por ora organizo a abertura do Clube no mais amplo devaneio.
___________________________________________________________

Todo domingo, Jáder Rocha traz o resumo das reuniões do Clube de Idéias em Penápolis.

Quer montar seu próprio clube? Mande suas idéias pra gente: clube.ideiais@gmail.com

3 comentários:

Anônimo disse...

Quero um jardim epicurista em minha casa

Renato disse...

E os odaras não tem vez?

Anônimo disse...

masificação
s. f. 1. Ato ou efeito de massificar. 2. Característica das sociedades desenvolvidas, para as quais o nível de vida tende a assumir valores padronizados

Então seria impossível declarar, assim como Alberto Caeiro busca negar a subjetividade das coisas,que logo a massificação intelectual é a negação da própria massificação...um pensamento em comum nos une...logo nos massificamos.