segunda-feira, 19 de janeiro de 2009

Fuga desesperada - Amaury Pavão Filho


Essa história é baseada em um filme real. O final e os nomes dos personagens aqui citados foram ocultados ou trocados, evitando assim, qualquer tipo de identificação ou processo judicial. Jingou Bel, assim como Papai Noel, é uma marca registrada de Natal©® Inc.

Era uma noite fria. Aquela doce mulher estava só; em casa, aguardava a chegada do marido.
“Beim Beim batem na porta. Meu Deus, é um manco horrível, o que eu faço? Oh não, socorro!!!”
Começa a gritaria e uma perseguição implacável pela casa. Uma mulher loira fugindo de um manco(campeão para-olímpico nos 100mts com barreiras). Era um desce escada, sobe escada e nada de marido chegar. De repente, um deslize fatal: a mulher tropeça no cadarço de seus tênis, rola escada abaixo e quebra o pescoço. O manco chega perto e crava-lhe um punhal de prata no coração.
Motivo? Ele tomou LSD e pensou que a mulher fosse um vampiro!
“Beim Beim batem na porta. Meu Deus, o viúvo chegou, o que eu faço? Oh não, vou embora”
O viúvo ainda tentou uma reação, mas o manquinho corria mesmo. Fugiu pela porta dos fundos. E nunca mais foi visto. Alguns dizem que ele pode ser visto em algum semáforo da av. Rebouças.
Caminhando pela casa ele vê o corpo de sua mulher estendido no chão. Chega perto, ajoelha-se ao lado do corpo, retira o punhal de prata e cai em pranto. A emoção era muita. Ele não podia acreditar que estava livre daquela mocréia.
“Beim Beim batem na porta. Meu Deus, é a polícia, o que eu faço? Xíííííí, fud**”
Um vizinho que ouvira a gritaria, chamou a polícia
O viúvo, um homem inteligente, pensou: “Put* merd*, agora minhas digitais estão neste punhal maldito”
O viúvo então é levado até a central do DHPP(Depto de homicídios e proteção à pessoa) para interrogatório, pois era a única pessoa no local do crime. Além disso, tinha o punhal de prata ao seu lado e as mão cobertas de sangue.
Chegando ao DHPP, o delegado de plantão começa um duro interrogatório enquanto limpa seus óculos. O diálogo entre os dois segue abaixo:
Qual seu nome pilantra?
Bel, Jingou Bel.
Tem papel?
Não.
Não faz mal, me passa esse pedaço de pano aí do lado. Por que matou sua esposa?
Não matei(pausa para choro). Foi um homem de uma perna só!!!!!!
E depois dessa, o delegado mijou de tanto rir e mandou o cara para o xadrez.
Durante dias ele ficou alí, sendo a sobremesa dos outros presos.
Decidiu que sairia de lá a qualquer custo e assim o fez.
Cavou um túnel para a liberdade e fugiu. Pena que a vida não é tão fácil o quanto ele pensava.
A sirene da prisão tocou!! Começou a correria!! Vários policiais correndo atrás de Jingou.
Depois de algumas horas de perseguição, Jingou se vê encurralado. De um lado os policiais babando, loucos para pegá-lo; do outro, uma cachoeira de trinta metros. “Oh dúvida cruel!!!” pensou ele.
Pulou!!!!! Durante a queda de quase 4 segundos sua vida passou pela sua cabeça como um filme. Ainda deu tempo de pensar na merd* que tinha feito.
Lá em baixo, bem lá no fundo do lago raso, bateu a cabeça e morreu!!!
Nota do autor: Alguns caracteres foram substituídos por “*” propositalmente. Logo, mesmo com “*”, o significado das palavras é o mesmo.

Amaury Pavão Filho é jornalista e programador, filho de jornalista e irmão de programador . Foi criado na bela e bucólica Penápolis, assistindo a "O Fugitivo" e outros clássicos da Sessão da Tarde, e hoje vive com a esposa em São Paulo.

Faça como Amaury e mande seus textos para clube.ideias@gmail.com