quarta-feira, 27 de maio de 2009

Meu poema de Amor - Karla Jacobina

Beijo é brinde
meu amor machuca
não porque é meu
mas porque é pai
que cinta e educa

meu amor cicuta
me menstrua
e me arapuca
crina de navalha
ventre de cumbuca

meu amor cutuca
peito de vidro
com vara curta
meu amor amputa
perna de saci
e abraço de cuca

meu amor prostituta
sem nome na faixa
panetone na caixa
aliança na puta

meu amor machuca
não porque dói
porque não assopra
não sara nem luta

porque dó quem
dá é viola
meu amor batuca
maracatuca

dá o que flor
meu amor gruta

doa em quem doer
doa pra quem doar

porque amor
não é garupa




Karla Jacobina é uma jovem escritora. Com o apoio da prefeitura de São Paulo, ministra uma oficina de literatura e artes integradas, no Centro Cultural Tendal da Lapa. A característica mais marcante em seu trabalho é impedir que o texto morra no papel: "O papel não é uma morte, mas é uma cama, confortável demais para os meus textos" Além de escrever, Karla atua, dança e toca. Mais informações na página oficial da artista




4 comentários:

Anônimo disse...

apresentadora, modelo e atriz.

Francis disse...

Bela poesia, bela poetisa

Bill Jacu disse...

O engraçado é que a audiência do blog está super boa neste último mês, mas os comentários estão meio fracos, né?

Bárbara disse...

Adorei o jogo de palavras