terça-feira, 28 de julho de 2009

Sobre matadouros e fervos - Eleutherius

Na pequena rotina urbana, nas frases repetidas diariamente, na mesma face que você admira no cotidiano é que está a verdadeira felicidade. Quando nos cansamos de tudo por algum motivo e tentamos quebrar a mesmice, nasce uma falácia, uma ilusão que a todo custo sustentamos ate que finalmente ela desintegra no ar, abrindo um abismo no qual nossa matéria chega ao final em extremo desespero, pois não há como sair desse buraco...Assim foi o inicio e o fim da minha tentativa frustrada de mudança, rsrsrs, so não sei pra onde, para melhor ou pior, afirmativamente para a regressão...

_ Fala jovem, como você ta irmão?
_ Vou indo cara, com muitas contas pra pagar, a facul atrasada, mas vou levando...
_Sem trampo?
_To sem trampo, so fazendo alguns bicos so... Ta difícil!!!
_ Verdade? Meu, faz assim, me da uma ficha sua que levo ela pro frigorífico, ta pegando gente lá, e você ta fazendo facul irmão, você consegue um trampo bom la!
_ Puta, demoro! Passa amanhã que já era, te dou a ficha e você leva pra mim.
_Fecho truta!!

Sair daqui, conhecer novas mulheres e morar sozinho, caralho que louco que vai ser...Num piscar de olhos desbravo uma nova cidade com muitas esperanças na bagagem, e algumas fotos velhas, porem uma chance de mudança, afinal quem não quer bens materiais, se destacar na multidão, um bom carro mesmo que financiado com a prestação valendo a metade do salário, ou andar de ouro e prata, com roupa de grife e vagabundas no pé? O subdesenvolvimento de um lugar se mede pela pequena ambição material, e eu estava começando a entrar no maldito jogo...

_ Ou Magrelo, vamos fazer um fervo hoje aqui na republica?
_ Opa, vamos sim Quadrado, e que você acha Tio?
_ Ah cara, arrumando o barraco depois, ta firmeza...Só fala pro Careca não fica rebolando que nem uma biscate quando tocar funk.
_Vai se fude, as minas gostam, danço mesmo e ai, no final da noite “como” várias, rsrsrsrs.
_Puta Careca bem que a gente podia arrumar uma grana pra comprar uns panos pro fervo né?
_ È mesmo Magrelo, com esse salário de merda nem dá pra pagar a corrente de ouro e pisante da Nike, vamos ter que comprar roupa da 25 mesmo...
_Você ta ficando louco, pra mim tem que ser patrão so coisa original... Peraí que vou arrumar um esquema bom pra nós, sem massagem, dinheiro não vai faltar...

A pobreza e o regresso intelectual, sem perspectiva a única coisa que importava era mulher e dinheiro o resto era resto, Nietzsche era pra mim apenas um velho de bigode, e Lênin um tiozinho qualquer, paradigmas? Meu exemplo agora era o desossador classe A que andava de carro com um som louco cheio de vagabunda dentro.

_ E ai Carcaça ta curtindo a festa? Ta mil grau né?
_Vixi mil grau, então Careca aquela mina tah querendo ferve com você!
_Verdade mas e ai, ela vai contar pra Regina se eu ficar com ela?
_Claro que não, faz assim, vou falar pra ela ir lá no fundo do barraco ai já era ninguém vai ver a cena...

Puta que o pariu, se eu pudesse voltar no passado, primeiro que nunca teria saído daqui, e depois não teria aceitado o pedido de uma qualquer...Um inferno astral, entre anjos e demônios o arcanjo Miguel perdeu, traição, mentiras e meu caráter que ate hoje não consigo reestruturá-lo. De cabelos longos e vestido preto, salto e uma cara de santa...São Jorge tentou me defender desse Exu, cai nas suas garras...Meses se passaram com a Sandrinha, meses de ilusões...

_ Não quero mais ficar assim Careca, quero namorar, ter uma família, alguém que ajude a cuidar de minha filha...
_ Mas você me ama a esse ponto?
_ Claro que eu amo!!!
Amor? Não sei o que é isso até hoje, por duas vezes tive a certeza de conhecer seu conceito, hoje eu sei que isso nunca existiu e nem vai existir, é apenas uma palavra, falar para qualquer um é fácil...

Assumi a porra desse namoro, hoje eu sei como Jesus se sentiu quando Judas o traiu e depois o filho da puta ainda o beijou, ainda bem que Jesus não pegou baba de ninguém ou fez chupeta de tabela rsrsrsrsr, espero que eu também não rsrsrsrsr. Vai saber!

Noites e noites de festas, dinheiro para bebidas e bancar as putas, a republica so tinha patrão, era tudo nosso, aquela cidade tava dominada... Ate que de patrão viramos empregados...

_ Caralho que vontade de jogar esse celular na parede, já são 05:00h? Puta merda, to atrasado! Acorda Tio, tamo atrasado pro trampo.
_ Ou Careca vai gritar com a sua mãe já to levantando porra. Nossa mano olha q fizeram com o banheiro, a festa foi foda ontem...
_ Nossa Tio olha só, o Magrelo com uma mina pelada do lado!!
_Caralho Careca, será q da tempo de comer ela também?
_Desencana que tamo atrasado...

Se o trabalho dignifica o homem? Não sei, so sei que o deixa escravo do tempo, do capital e dos seus próprios desejos, sem vontade de nada, a não ser de chegar em casa e dormir, ou para os mais animados beber e dormir...

_ Trampei hoje heim, Deus me livre, to morto nem vou pra facul, ou Quadrado amanhã vence o aluguel.
_Firmeza, ta aqui a minha grana e a do Tio...
_ E a do Magrelo?
_Vixi mano, ele sumiu né?
_ O Tio cadê o Magrelo?
_ Olha ele chegando ai...
_Firmeza rapaziada? Ou Careca, a grana do aluguel deu mi, vou ter q fazer um corre pra ter o dinheiro...
_Caralho meu, e aquele dinheiro que você recebeu?
_Gastei na porra do fervo, to devendo pro maluco da biqueira ainda.
_Puta que o pariu se vira, faz seu corre!!!

Dois meses de aluguel atrasado, tava foda, sem comida no barraco, e os cascos das festas ao lado da geladeira... Amigos? Nenhum! Namorada? Tava comigo por diversão. O barraco virou ponto de fervo, festas, pessoas entravam e saiam, mas ninguém perguntava se a gente precisava de alguma coisa. Não há sinceridade, amizade, amor, na noite, apenas putas, bebidas, drogas e a autodestruição do ser humano, nada mais.
Noites chegavam, e a estória repetia, de manhã trampo, a noite namorada e fervo, estudar? Tava difícil, sem ânimo, comecei a se cansar, até que o inesperado me libertou...

_ Mas um dia de trabalho em Sr.João?
_Sim, mais um dia...
_Ou Careca, pega a paleteira lá e desloca aquele engradado de costela pra produção...
_Sim senhor, vou lá.
_ Mas vai rápido porque já ta faltando a matéria prima.
Velho Filho da puta! Que vontade de grudar na garganta dele.

Peguei o tal engradado de 600kg no macaco hidráulico, e fui empurrando na máquina, até que durante o carregamento ao virar dou de cara com outra paleteira, so que essa com o peso de 1 tonelada, o babaca que tava guiando não me viu e direcionou ela do meu lado, resultado, minha perna foi esmagada, rompimento muscular da coxa, quase rompe a artéria do femoral, acidente de trabalho.
Nessa hora desmaiei e passou um filme na minha cabeça, qual o motivo que me fez passar por tudo isso? Sem arriscar uma explicação filosófica ou religiosa, a única fundamentação para tal passagem sombria dessa insignificante existência é a chamada cagada humana, pois a burrada de tentar algo que logo de cara você percebe que não vai dar certo é uma verdadeira cagada, e assim caguei no meu próprio pau em ato de malabarismo, ferrando por momentos a minha vida.

Após ao acidente me distanciei de todos, de festas, e da faculdade, como um inútil eu fiquei a espera de um milagre, ate que retornei ao meu lar, e pela primeira vez senti saudade da rotina, aquela que eu odiava passei a ser apaixonado e dei valor nas pequenas coisas que me rodeavam.

Gilvan, vulgo Eleutherius, foi baterista da banda Militantes, cantou rap, participou do movimento estudantil em Penápolis e foi segurança dos mais variados tipos de estabelecimento. Faz poesia boêmia e marginal no blog Cicatriz Urbana

=> Quer ter seus contos publicados no nosso clube? Mande e-mail para clube.ideias@gmail.com

Um comentário:

Fred Di Giacomo disse...

Parabéns, moleque. Vc deveria escrever mais!